segunda-feira, 13 de outubro de 2008

mão armada

Beijei a mão armada
Que com ódio me feriu
Quanto horror, o cúmulo
Um pensamento vil
Sabes que nunca tive
Uma atitude Hostil
Feriste....Mas eu sorri
Mesmo assim eu me curvei
Donos da dignidade
Julgado..numa atitude infeliz
Foi um fiel companheiro
Um golpe, não resisti
Acho que
Ninguém pode fazer assim
Invadir o meu espaço
Ferir..sem ter dó de mim
Sugiro..
Mata-me..Pois te considero irmão
Se perdoar quiser
Eu perdoarei também
A você tão somente
Somente....a mais ninguém
bjs

LADRAO

Um comentário:

Paulinha Dos Sonhos disse...

Sou incomum.
Eu não sei amar pouco
O que eu quero explicar
O que eu quero dizer
O que eu sinto é tão forte
Dentro do meu coração
que eu não consigo esconder
O que meu olhos veem
Minha melodia favorita..
É AMAR VOCÊ
Me entrego de corpo e alma
A vida brilha mais intensamente
Sigo meus instintos
Crença, obstinação...
Sensibilidade de menino
São muitas as madrugadas
Em que a saudade me abraça
quando estou sem você
Ela não tem me deixado nem dormir
Pensamentos cruzam distâncias
Razão do meu mais puro desejo.
Tão linda te vejo
Sinto-me intenso.
Amo-te no meu silêncio...
Eterno e inconstante

beijos